30 de mai de 2010

uma tristeza branda disfarçada de gente beira a cidade da guanabara.

uma quentura térmica, uma busca por alguém que já foi embora da festa.

uma questão. São sempre as questões que nos trazem até Portela.

Portela me mostrou sua casa linda, seu filho pequeno e duas paisagens.

A da copa e a da vila. A da vila é a da Urca. Me esperei para sair do mar.

Quis te enrolar numa certeza branca mas as vias das questões eram sempre maiores.

Quis me aproximar. Se a frieza fosse toda a sorte, eu não estaria mais no tentar.

Se o quente não fosse o brega eu voltaria a telefonar, uma última paisagem.

Foi tão farto e tão pouco que eu ainda tentaria um caso a mais, um chile.

Se eu te vi de perto, não me pessa pra te ver de longe, a vista não quer embaçar.

A sorte quer estar confortável e tantas vezes isso encomoda, aperta todos os andares.

Se você deixasse uma última vez. O quieto saberia toda a sinfonia, por um tempão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário