18 de mai de 2010


e se eu tentar mais um pouco e um pouco mais forte,
talvez a queda se rompa. talvez as traves se alarguem,
ganhando outras proporções.Talvez o acúmulo de dotes
traga precisão.A vontade de esvaziamento vem
em preto e branco, de tão longe que fica. E trás casacos
pretos e um não sei mais o quê.

e se eu tentar mais um pouco e um pouco mais forte, o deslize possa ser daqui.

Se eu deixar o esvaziamento ser completo e tentar as beiradas, a coisa ganhe novo fluxo.
Um gatilho perfeito, uma curva no olhar e um toque de recolher às avessas.
Nas nove horas, todos devam abandonar suas calmas e descer para as ruas.
Sem atropelamentos de conversas, sem desentraves ou aniquilações.

Apenas a fluência, a vontade de querer e o fluxo comprimido.
Apenas as soluções mais táticas para retornar a plurificação desse olhar bivolt.
Perceber toda a trama, não apenas o que está pora trás mas o que está por entre.
Uma possível transfiguração do irreal, perceber o entorpecimento.

hoje eu tento dos pês e ontem dos armários e dos coesos.
Significa poder ganhar novas qualidades.
Fico em falta. Sumo. Não fecho as contas.
Admito felicitações que antes não me tinham.
sobre olhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário