6 de fev de 2009

E n s a i o ,

O ensaio começa sempre com três goladas de café. A cada golada, uma palavra de sustentação, que me envolva e me estabeleça até o fim do ensaio. Ou apenas três pequenos fôlegos pra perder o medo. Agora não me lembro as palavras de hoje – se diluíram em mim, viraram café. Mas lembro-me de uma sensação, uma sensaçåo de que a melancolia é o vale da alma. É a bolsa quente que esgarça os músculos enrigecidos. Tenho permitido que essas sensações entrem em mim. Tenho permitido a simplicidade sem perder o estilo. Sei que a pequenina lâmpada azul deve permanecer acesa, durante o ensaio. Ela tem sido minha parceira e tenho contado muito pra ela – mas também sei que essa nao é a minha casa e que um dia eu posso chegar aqui e descobrir que levaram a pequena lamparina, e isso não fará a menor diferença, nao poderá fazer – porque agora há muita gente aqui em casa, uma multidão veio me visistar e eu ainda não tinha percebido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário