13 de jan de 2013

Das tentativas de decifrar nosso impulso arretado, não vou ficar com nenhuma delas . Só vou lembrar daquela estátua que tava pendurada ao contrário e ninguém tinha notado. Seu apego aos contrários. Você agarrou elas pelo cangote, arregaçou as golas apertadas, monstro terrível, desordeiro selvagem, carregando as verdades mais caras. Empurra contra que uma hora o adversário cede, me ensinou o clown da night. Você gritou tanto, meu amigo de verdades caras, E não te deram o bilhete da passagem. Xingou quatro otários e não te deram hospedagem . Você foi de mesa em mesa, eu vi, e te arrancaram a viagem. Quando escuto seu grunhido, noto que são versos delicados que surgem do brutamontes apressado. São neopropostas contra o ocaso! Cumpre o clichê determinado, parte apressado, metralhadora do abraço, deixando a cidade mais insossa e covarde para Ericson Pires 17 de Março de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário